WOMEX 2019 ACONTECE EM TAMPERE, NA FINLÂNDIA

A edição 2019 do festival Womex decorre em Tampere, Finlândia, “um dos segredos mais bem guardados da Europa do Norte”, garante a organização

A edição 2019 do festival Womex decorre em Tampere, Finlândia, “um dos segredos mais bem guardados da Europa do Norte”, garante a organização. Trata-se da primeira vez que este importante certame itinerante, ponto de encontro de artistas, agentes, editores, jornalistas e demais intervenientes na indústria das chamadas músicas do mundo, viaja até à Finlândia escolhendo por base uma cidade rodeada de lagos que é apontada como um importante “hub” cultural sendo, nomeadamente, a cidade que regista maior número de concertos musicais per capita em toda a Finlândia. É, por exemplo, palco de mais de 30 festivais por ano que cobrem todas as tipologias musicais imagináveis.

Jacob CrawfurdJacob Crawfurd

A base do evento será o Tampere Hall onde decorrerão boa parte das atividades programadas. Para levar a cabo esta edição, a Womex refere que os apoios do Ministério da Educação e da Cultura da Finlândia bem como do Município e do Turismo de Tampere, além do programa Music Finland, foram essenciais.

O evento arranca já a 23 de Outubro, data em que abre a feira que é central na Womex. Terá mais de 280 stands que cobrem desde as editoras, plataformas de exportação de múltiplos países, empresas de booking e agenciamento, artistas ou plataformas de streaming e de outros inovadores serviços. Mas a feira é apenas uma das componentes de um evento que tem uma vasta programação de conferências, uma gala de entrega de prémios, um festival de cinema e, claro, muitos concertos.

A Portugal Muito Maior, em conjugação com a Why Portugal, apresentarão um stand colectivo que representará artistas, agentes, managers, publishers, editoras e festivais nacionais, entre outras plataformas, firmando assim a presença da indústria musical portuguesa de forma mais visível. A ALG-Eventos; Amg Music,o festival Artes à Rua; Espelho de Cultura; o Festival Évora Urban Village, FMM Sines – Festival Músicas do Mundo; Locomotiva Azul; Lusitanian Music Publishing; Misty Festival, Seiva Bruta; Transiberia; UGURU e Universal Music estarão igualmente presentes.

O português Omiri será o representante nacional na secção de Showcases que programa artistas de todo o mundo, de Marrocos à Suécia, do Uganda à Coreia do Sul, da Colômbia à Estónia e do Canadá a Israel ou Irão e cabo Verde. Uma diversidade absolutamente estonteante que atesta bem da riqueza musical e cultural do nosso planeta.

Omiri é o projeto de Vasco Ribeiro, artista que dirigiu os Dazkariah e que também milita no trio Sevia. Omiri é apresentado como um projeto solitário que em palco reinventa a música tradicional portuguesa com uma remistura audio-visual pensada para o século XXI. Para tanto, Omiri usa imagens captadas por Tiago Pereira de músicos e cantores de todo o país que são depois montados e samplados sobre ritmos bem pronunciados, com o artista a recorrer ainda a um arsenal de instrumentos tradicionais, da viola braguesa ao cavaquinho, gaita de foles e outros, que sampla ao vivo e com que faz expressivos lops que, de facto, têm o condão de projetar a nossa memória no futuro.

As conferências são outros dos pratos fortes deste certamente que anualmente atrai milhares de pessoas de todo o globo, apostadas em pensar nos próximos passos desta indústria em constante evolução. Haverá conferências focadas na Cultura de Clubes, na Música Africana, nas estratégias de Exportação Focadas em Cidades, no Jazz e na Música Latina, nos Fundos Disponíveis na Comunidade Europeia e até uma Introdução às Plataformas Chinesas de Streaming e de Redes Sociais. Múltiplos pontos de interesse para quem procura soluções efectivas para fazer crescer carreiras.

Photo Credits: Jacob Crawfurd  Site: www.crawfurd.com 

A Atribuição dos prestigiados Prémios Womex é outro dos pontos altos do evento que se prolonga até ao dia 27 de Outubro.  Este ano o artista Kayhan Kalhor, mestre do kamancheh e um expoente da música clássica persa, que tem nacionalidade iraniana e norte-americana, será o grande homenageado bem como o projeto britânico Julie’s Bicycle, uma plataforma de ativismo social focada no alcance de sustentabilidade ambiental na indústria da música.

Serão quatro dias intensos, com programação variada, diurna e noturna, divididos por vários espaços dentro do Tampere Hall com extensões a vários outros lugares da cidade, com uma vibração especial pensada para antecipar o que o amanhã promete para a indústria da música.