PEDRO MAFAMA – “O MEU SOM NÃO PODIA TER SURGIDO NOUTRO SÍTIO”

Apontado como uma verdadeira revelação, Pedro Mafama cola tradição e futuro, marcas de portugalidade e uma identidade que é realmente cosmopolita, abraçando novas sonoridades como o trap sem nunca esquecer a nacionalidade que tem no passaporte.

PEDRO MAFAMA no MaMA Paris 2019

Qual a importância que atribuis a poder mostrar a tua música a agentes internacionais num evento como o MaMA?

Estes eventos são uma oportunidade para abrir portas fora de Portugal e para me mostrar a pessoas que de outra forma não dariam com o meu trabalho. Tenho uma vontade enorme de levar a minha música para além da minha cidade e país (apesar de ainda ter muito caminho para percorrer cá em casa) e estes festivais são um canal aberto para isso.

Pedro Mafama

Como é que estás a projectar o teu showcase em Paris? Vai ter algum material novo?

Tenho estado a trabalhar em muito material novo e espero já poder testar músicas novas em França! De qualquer forma, vou ter de adaptar o meu set e apresentação ao facto de estar a tocar no estrangeiro, para que as coisas tenham o mesmo impacto e força que têm cá. Tocando fora de casa, onde as pessoas não conhecem tão bem os códigos e os signos com que a minha música e imagem jogam, vou ter fazer um esforço extra para que toda a minha sonoridade e imagética funcionem na mesma, e sejam compreendidas.

Pedro Mafama

A tua música representa um novo posicionamento face à tradição: achas que, face ao sucesso internacional de artistas como Rosalía, o teu som que é tão português pode fazer sentido internacionalmente?

Acho que o meu som tem muitos momentos onde é claramente algo que não podia ter surgido de outro sítio senão de Lisboa e mesmo Portugal, e esse elemento local é uma coisa muito valorizada em 2019. Por outro lado sinto que essa procura de géneros locais sempre existiu, sempre houve essa gentrificação constante na música, só estávamos mais habituados a ver os focos de interesse a viajarem por outros lados do mundo, longe deste canto do sul da Europa. A surpresa este ano foi o holofote da cultura Pop vir calhar mesmo aqui ao lado em Espanha, com a enorme quantidade de coisas interessantes a surgir de lá. Tenho fé que um dia destes o holofote fuja um bocadinho para o nosso lado, e que quando isso acontecer tenhamos coisas lindas a reluzir e a cintilar cá em baixo. E acho mesmo que vamos ter.

Pedro Mafama

Quais são os próximos passos que tens planeado para a tua carreira? Há novidades a caminho?

Quero lançar o meu primeiro projeto de longa duração, acho que vai ser mesmo um álbum. Tenho estado a trabalhar em novas coisas que já me estão a entusiasmar muito e que definem uma nova direção, e refletem de forma muito íntima os últimos meses que tenho vivido. Quero fechar este ciclo que tenho estado a viver, que tem sido lindo de muitas maneiras mas também excessivo e assustador noutras, e abrir um novo capitulo. Um album parece-me uma boa maneira de o fazer.